Bioplastia de Glúteos

Bioplastia de glúteos é um procedimento para definição corporal que geralmente utiliza PMMA como implante líquido para correção volumétrica dos glúteos. Como todo procedimento médico a bioplastia com PMMA requer atenção e cuidados, mas não é proibida pela Anvisa ou pelo Conselho de Medicina, contando inclusive com estudos científicos internacionais que comprovam índice reduzido de complicações, inclusive quando comparada a técnicas com o mesmo propósito como gluteoplastia e lipoescultura.

Infelizmente alguns profissionais, visando maior lucro, passaram a utilizar produtos proibidos como se fosse PMMA e realizar procedimentos em locais sem alvará da vigilância sanitária, o que causou casos de complicação atribuídos erroneamente ao PMMA e levaram o produto a ganhar má fama. Para você entender melhor vamos começar explicando o que é bioplastia de glúteos.

O que é bioplastia de glúteos?

Bioplastia de glúteos é uma técnica que utiliza preenchimento para correção volumétrica e definição de contorno corporal geralmente realizada com PMMA, um produto aprovado pela Anvisa*. O procedimento é realizado com anestesia local e paciente acordado no próprio consultório médico, utilizando agulhas de ponta arredondada que permitem implantar o produto em regiões profundas com risco mínimo de perfurar vasos ou veias, prevenindo a formação de hematomas e possibilitando o retorno à rotina no mesmo dia.

*Pesquisar no site da Anvisa registros n° 80434370001 e 80256510006

Como é feito bioplastia de glúteo?

A bioplastia de glúteo é feita com implante de PMMA, um gel composto por microesferas sólidas utilizado na área da saúde há mais de 80 anos, tendo passado nas últimas três décadas por consecutivas evoluções até chegar a atual quarta geração: um produto livre de impurezas, com microesferas de tamanho regular e superfície nano texturizada, fatores que reduzem para quase zero o risco de granuloma, infecção, alergia e rejeição.

Bioplastia de glúteo é perigoso?

Assim como qualquer procedimento médico a bioplastia de glúteos com PMMA não é isenta de riscos ou efeitos adversos, contudo, dois estudos científicos recentes comprovam índices reduzidos de complicações. Um deles divulgado em 2016 durante o 1° Simpósio Consenso Brasileiro de Implantes Infiltrativos, foi uma pesquisa realizada com 36 médicos de todo o Brasil que registrou apenas 719 complicações entre 87.371 preenchimentos realizados com PMMA, o equivalente a 0,823% do total.

O segundo estudo, aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CAEE número 86722118.8.0000.5291) e publicado em junho de 2019 na revista Plastic and Reconstructive Surgery da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica, após acompanhar mais de 1.500 pacientes por 10 anos totalizando quase 3.000 procedimentos, apontou risco inferior a 2% em aumento de glúteos com PMMA. Os números deste segundo trabalho desmistificam os principais mitos acerca do produto como: complicação tardia, os pacientes foram acompanhados por 10 anos; limite de quantidade, foram utilizados em média 321 ml de PMMA por paciente; além de rejeição, embolia, alergia ou migração, que não apareceram entre os efeitos adversos apresentados pelos pacientes acompanhados.

Mitos sobre bioplastia de glúteos com PMMA

PMMA em grandes quantidades pode causar complicações?

No segundo estudo científico mencionado foram utilizados em média 321 ml de PMMA em cada paciente e as principais intercorrências foram hematoma, seroma e equimose, reações naturais do organismo em resposta a qualquer procedimento invasivo ou minimamente invasivo e que são independentes do volume de PMMA utilizado.

Meu corpo pode apresentar rejeição ao PMMA?

A compatibilidade biológica do PMMA com o corpo humano é comprovada cientificamente por estudos internacionais.

Pode haver formação de nódulo com PMMA?

A formação de nódulos pode ser evitada através da correta distribuição do produto dentro do músculo. O PMMA bem espalhado previne a concentração de produto e a formação de nódulos.

PMMA causa alergia?

O PMMA utilizado no Brasil, sem colágeno bovino, tem baixa probabilidade de causar alergia. No entanto, é importante informar ao médico durante a consulta presencial qualquer tipo de alergia, incluindo anti-inflamatórios, corticóide, ácido acetilsalicílico, entre outros.

PMMA forma granuloma?

O risco de granuloma caiu para menos de 0,01% em 1994 com o lançamento da segunda geração do produto, quando as esferas de PMMA passaram a ter superfície lisa e tamanho padrão de 40 micrometros, a milionésima parte do metro, o que dificulta a reação do sistema imunológico e a formação de granulomas.

O PMMA pode infeccionar?

A ausência de conteúdo animal, purificação da fórmula e condições ideais de higiene dificultam a proliferação de agentes infecciosos. Foi em 2006, na terceira geração, que a redução de impurezas na fórmula do PMMA trouxe diminuição expressiva das chances de infecção e alergia, possibilitando a aprovação do PMMA pelo FDA, órgão de saúde norte-americano, seguida da aprovação da Anvisa.

Existe risco de embolia ou necrose com PMMA?

O preenchimento é realizado com microcânulas, agulhas de ponta arredondada que não perfuram vasos sanguíneos, o que dificulta a aplicação de produto dentro da corrente sanguínea que poderia causar embolia e necrose.

PMMA pode causar enrijecimento da região ou comprimir estruturas internas?

Por ser líquido no momento do implante o PMMA se molda entre as estruturas, prevenindo danos à região. Ao longo dos quatro meses seguintes o gel que transporta as microesferas sólidas de PMMA será absorvido enquanto o produto estimula o corpo a produzir um tecido rico em colágeno que envolverá as partículas naturalmente, evidenciando a biocompatibilidade do implante com o organismo.

PMMA migra?

O produto tende a permanecer estável no local implantado, pois por ser injetado em planos profundos, junto ao osso ou dentro do músculo, fica menos suscetível às movimentações musculares e aos próprios efeitos da gravidade. O líquido utilizado para implantar as microesferas sólidas de PMMA com microcânula, também tem a função de manter a posição das partículas através de sua propriedade viscosa que ajuda a impedir que elas saiam do lugar. Ao longo dos próximos quatro meses esse veículo é absorvido pelo corpo enquanto um novo tecido rico em colágeno cresce ao redor das microesferas fixando o PMMA no local implantado definitivamente.

grafico de tempo por porcentagem mostra o estimulo de colageno de 20% de pmma para 80% de tecido do próprio paciente em 4 meses

À esquerda temos uma fotografia retirada com microscópio após dez anos da implantação onde é possível perceber o PMMA estável no local implantado envolto por fibras de colágeno. À direita a representação em gráfico do processo de estimulação de tecido autólogo, do próprio paciente, que acontece nos primeiros quatro meses após o procedimento.

Antes e depois da Bioplastia de Glúteos: o que é preciso cuidar?

Antes: profissional, produto e ambiente.

  • Profissional: a bioplastia deve ser realizada por médicos, que possuem conhecimento para prevenir e, se for caso, tratar eventuais complicações. Sendo assim o procedimento pode ser realizado por dermatologista, cirurgião plástico ou por outro profissional de medicina com licença para atuar no Estado onde o procedimento será realizado.
  • Produto: a marca comercial do produto utilizado para ser implantado nos glúteos deve ser aprovada pela Anvisa, um referencial de qualidade, que significa menor chance de efeitos adversos e maior possibilidade de alcançar a aparência desejada.
  • Ambiente: a clínica ou consultório onde a bioplastia será realizada deve possuir alvará da vigilância sanitária atestando condições ideais de higiene para realização de procedimentos médicos. Jamais realize bioplastia em casa ou em quarto de hotel.

Depois: ficar sem exercícios físicos por uma semana e evitar exposição solar. Essas são as únicas recomendações para depois da bioplastia de glúteos, além disso, a rotina pode ser retomada normalmente no mesmo dia do procedimento.

Bioplastia de Glúteos famosas

Como vimos na pesquisa que analisou mais de 87 mil procedimentos com PMMA, casos de complicação são raros, mas infelizmente quando acontecem tem grande visibilidade e acabam por soterrar os tratamentos bem sucedidos.

Um dos casos que ganhou grande repercussão foi o falecimento de uma paciente de bioplastia de glúteos do Dr. Bumbum, médico que segundo o próprio CREMERJ não poderia atuar profissionalmente no Rio de Janeiro e que de acordo com relatos de outras mulheres realizava procedimentos em seu próprio apartamento, ou seja, em locais sem alvará da vigilância sanitária.

No caso de Andressa Urach, ficou confirmado pelo Grupo Hospitalar conceição, que atendeu a modelo e apresentadora na época, que a causa da infecção foi o hidrogel, produto proibido pela Anvisa desde março de 2014.

Qual a diferença de PMMA para hidrogel?

A compatibilidade biológica com o corpo humano. O hidrogel é um produto composto por poliamida, uma substância utilizada para produção de náilon e de materiais da indústria têxtil, com pesquisas inconclusivas sobre seu uso na medicina. O PMMA é utilizado na área da saúde há mais de 80 anos, tendo passado por consecutivas evoluções nas últimas três décadas até chegar a sua fórmula atual, um produto livre de impurezas, com microesferas de tamanho regular e superfície nano texturizada, fatores que reduzem para quase zero o risco de migração, granuloma, infecção, alergia e rejeição.

Liberado pela Anvisa em 2008, após evidências de migração, infecção e rejeição, o hidrogel foi proibido em março de 2014.

Qual a diferença entre silicone líquido e PMMA?

O silicone líquido é composto por cadeias de dimetilsiloxano, um polímero desenvolvido para uso industrial sem estudos consistentes sobre sua biocompatibilidade com o corpo humano, enquanto o PMMA é utilizado como preenchedor há mais de 30 anos, sendo objeto de pesquisa e aperfeiçoamento para ser liberado para correção volumétrica facial e corporal pela Anvisa e pelo FDA.

Bioplastia de Glúteos com ácido hialurônico

A bioplastia de glúteos com ácido hialurônico restringe as possibilidades do procedimento pois além de durar apenas um ano, o que não é conveniente para o paciente, torna a aplicação praticamente inviável financeiramente, pois o produto tem seu custo calculado por mililitro, o que em regiões mais extensas como os glúteos geralmente significa um valor bastante elevado. Contudo a bioplastia pode ser realizada com qualquer implante líquido, consulte seu médico sobre as possibilidades.

Bioplastia Glúteos: preço vale a pena?

O preço da bioplastia de glúteo varia conforme o objetivo do tratamento, a extensão da área tratada, o tipo e a quantidade de produto utilizado. É somente durante a consulta, fazendo uma avaliação presencial, que o médico poderá definir se este é o tratamento mais adequado para o caso e qual a quantidade de produto necessária.

Contudo o mais importante é saber como é feita a bioplastia de glúteos, estar atenta aa formação do profissional, cursos e eventos de atualização dos quais participou, se a clínica possui alvará da vigilância sanitária e se o produto é liberado pela Anvisa. Solicite sempre o alvará antes de agendar a consulta e se certifique de que a marca anunciada é a mesma que será utilizada pedindo para que as embalagens sejam abertas na sua frente. Com esses cuidados as chances de efeitos adversos são mínimas e você poderá comprovar que a bioplastia de glúteos vale a pena.

Conforme o estabelecido no anexo I, item 6, inciso XIV da resolução nº 1.974/11 do Conselho Federal de Medicina é proibido “divulgar preços de procedimentos, modalidades aceitas de pagamento/parcelamento ou eventuais concessões de descontos como forma de estabelecer diferencial na qualidade dos serviços”.

Fale conosco por WhatsApp (21) 990.039.072. Os preços informados podem variar de acordo com a avaliação presencial feita pelo médico.

Aguardamos ansiosos para responder quaisquer perguntas adicionais que você possa ter em nossa próxima consulta.

Autor do conteúdo

DR. ROBERTO CHACUR

Médico Cirurgião
CRM-RJ 953687 | CRM-SP 124125 RQE-SP 33433

– Experiência de 14 anos trabalhando exclusivamente com pesquisa e realização de preenchimento
– Speaker no Congresso Mundial de Dermatologia (Milão, Itália)
– Coordenador do estudo de caso sobre Aumento de Glúteos com PMMA: um estudo de coorte de 10 anos (PRSGO Journal)
– Autor do livro Ciência e Arte do Preenchimento (Editora AGE)
– Instrutor do Workshop sobre Preenchimento de Glúteos e Goldincision (SP)
– Membro da Sociedade Americana de Laser para Medicina e Cirurgia (ASLMS)
– Associado à Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia (SBLMC)
– Residência em Cirurgia Geral pela Universidade Luterana do Brasil (RS)
– Formado em Medicina pela Universidade Luterana do Brasil (RS)