Preenchimento com Policaprolactona para rejuvenescimento facial

Policaprolactona é um polímero biodegradável utilizado como um eficaz preenchedor absorvível para correção de irregularidades e assimetrias, definição das linhas faciais e tratamento de rugas. Difere-se dos demais preenchedores particulados absorvíveis em virtude de seu maior tempo de duração, que pode chegar a até quatro anos.

Sua aplicação se dá por meio da PCL, um polímero em formato de microesferas distribuídas em um gel de celulose carboximetilizada à base de soro fisiológico com tampão fosfato em uma proporção de 30% de Policaprolactona e 70% de gel. Assim, além de harmonizar de modo pouco invasivo, aplicada através de microcânulas, a PCL estimula a produção natural de colágeno, que serve de base para elastina e ácido hialurônico. Juntas, estas três substâncias são responsáveis pela firmeza, elasticidade e hidratação da pele.

Como a PCL atua no rejuvenescimento facial

A partir dos 30 anos de idade, nosso organismo diminui substancialmente, a cada ano, a produção natural de colágeno, proteína de sustentação da pele. Com o envelhecimento, também há perda do tecido ósseo e das camadas de gordura e muscular. Ao ser posicionada na camada subdérmica, a policaprolactona reduz a perda de tecido trazida com a idade preenchendo o espaço deixado por rugas e sulcos.

Além da capacidade de reduzir assimetrias, a substância vai estimular a produção de colágeno, que gradualmente irá influenciar na hidratação, firmeza e elasticidade do tecido, contribuindo para a revitalização da qualidade da pele como um todo.

Faz-se necessário ressaltar, entretanto, que não é possível combater todas as causas do envelhecimento com apenas uma técnica. Outros tratamentos podem ser indicados como procedimentos complementares para reduzir as marcas do tempo. A escolha das técnicas a serem combinadas para um rejuvenescimento harmônico deve ser feita sob avaliação médica.

Preenchimento com PCL

O preenchimento com PCL é um procedimento médico realizado somente por profissionais com registro válido no conselho de medicina e após avaliação presencial do paciente pelo médico. A consulta presencial servirá para o médico avaliar o aspecto físico e o histórico clínico do paciente para que possa indicar o tratamento mais adequado.

Caso seja indicado o preenchimento com PCL, o procedimento é realizado da seguinte forma: o médico realiza marcações na face para guiar a aplicação, que é feita com microcânulas, agulhas sem ponta desenvolvidas especialmente para distribuir preenchedores sem romper vasos e nervos. Antes da aplicação da Policaprolactona, os locais recebem anestesia local.

Podem ser utilizadas técnicas distintas de aplicação conforme o objetivo do tratamento. O implante do produto pode ser realizado por distribuição linear, em leque ou cruzada, dependendo da região da face e do resultado pretendido. De acordo com a avaliação médica e a necessidade de tratamento de cada paciente, o médico irá escolher um tipo diferente de preenchedor PCL, que tem concentração fixa, mas variam segundo o comprimento da cadeia de polímeros e tempo de absorção.

Possíveis reações no pós-preenchimento com PCL

Biologicamente compatível com o corpo e absorvível, o preenchimento com PCL tem chances reduzidas de produzir reações adversas uma vez que funciona como estimulador de colágeno e dilui-se naturalmente em até quatro anos.

O preenchimento com policaprolactona é minimamente invasivo, pois não requer corte ou internação e por ser feito com microcânulas tem chances reduzidas de deixar cicatriz. São reações comuns da pele à intervenção a formação de inchaço, vermelhidão, coceira e enrijecimento local. Todas respostas do organismo que desaparecem sem necessidade de interferência.

É recomendado realizar uma consulta de revisão na semana seguinte. O paciente pode voltar a sua rotina no mesmo dia, as únicas restrições são quanto à realização de exercícios físicos, exposição solar, banhos quentes e o uso de maquiagem.